“Não sou mãe. E então?”

“Não sou mãe. E então?”

2 de Maio, 2021 0 Por Rita Leston

Eu sei que a noite vai longa e o Dia da Mãe já acabou, mas, ainda assim, passei o dia a pensar numa questão.

Todas nós, mulheres, somos filhas e, como tal, de alguma forma, seja em presença, em coração, com a presença ou a ausência, com saudade, com alegria ou tristeza, podemos celebrar o Dia da Mãe. O das nossas mães. Sejam as biológicas, as emprestadas, as presentes, as ausentes, as substitutas ou quem tenha feito ou faça esse papel.

Mas existem muitas de nós, mulheres, que, por opção ou impossibilidade, não somos mães.

Umas, porque, mesmo querendo muito, o não conseguem, seja por razões médicas, por falta de condições, por não encontrarem o pai que pensam ser o certo ou qualquer outra razão que as tenha impossibilitado.

Outras, que, por opção, não pretendem ser mães. São felizes e realizadas por outras formas e com outros objectivos, que não passam pela maternidade. Sejam eles quais forem e pelas razões que sejam. É a sua vida e a sua escolha.

Em qualquer dos casos, por impossibilidade de maternidade ou por escolha, sinto que, muitas vezes, as mulheres que não podem ou decidem não ter filhos ainda são olhadas de lado, como que não seja natural não quererem ou umas coitadas por não conseguirem o seu objectivo.

Ser mãe, é maravilhoso. Eu sou-o por opção.

Mas não o ser, tem de ser visto como uma escolha normal e respeitada, onde existe uma vida onde as pessoas podem ser muito felizes na mesma.

Cada um sabe de si.

Rita Leston. E Então?